Série Feud

Terminei de ver FEUD ontem. Devo dizer que num certo momento enche o saco essas divas e suas poses, suas intriguinhas, mas ao fim e ao cabo, a gente se emociona um cadinho com o "fim" delas, com o contraste de lixo e luxo que parece permear suas vidas. A série mantem um bom nível, não é tempo perdido e, em meio a tanta bobagem das séries atuais, é um ponto alto. Às vezes, parece militar explicitamente (raros momentos) no feminismo e isso pode soar apelativo. Porém se colocarmos algumas falas pontuais das protagonistas no contexto de machismo muito bem elaborado pelo documentário "E a mulher criou Hollywood" (2015) que descreve a evolução da mulher nos postos de trabalho da indústria cinematográfica, a situação torna-se mais compreensível. Joan Crawford rejeitou estrelar um filme em que seria dirigida por uma mulher, e o curioso é que ela diz que não é o fato de ser mulher que motiva essa rejeição, mas o fato de "ser uma ninguém". Para refletir. Bette e Joan, uma talentosa, outra linda. Nada é suficiente para mantê-las no auge, tudo parece fugaz da perspectiva em que a série narra (momento de decadência das duas). No fundo nada basta para a vida, tudo passa.
Recomendo.


http://www.imdb.com/title/tt1984119/
https://pt.wikipedia.org/wiki/Feud_(s%C3%A9rie_de_televis%C3%A3o)


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

The Handmaids Tale

Aura do "Encouraçado Potemkin"